quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

REVIEWS EM ATRASO

Ta bom eu sei que estou defasado nas postagens mas foi por motivo de forças maiores. Sem mais delongas venho pra destrinchar, meio que por cima, alguns álbuns recentemente lançados e/ou que ouvi e acabei gostando e querendo compartilhar com vocês. Bora lá?

METALLICA - Hardwired...To Self -Destruct
Não poderia ser em melhor estilo. A volta dos caras veio pra calar a boca dos saudosistas, espantar de vez os modinhas e aninhar mais uma porrada de fãs perdidos por aí. O álbum é pesado, rápido, tem cadência quando precisa, muito bem produzido e com uma qualidade de composição e timbragem instrumental sensacional. Fiquei surpreso com a qualidade da gravação e com a ferocidade das músicas, principalmente na primeira parte do álbum. James mostra que sabe das coisas e  definitivamente tem sim muitos e muitos riffs guardados na cartola. Mais uma vez, as guitarras impressionam, e para quem não sabe, gravar, mixar e masterizar um disco de Heavy Metal é extremamente difícil e delicado, um erro pode ser fatal, mas, por aqui a única coisa fatal é o resultado devastador de uma banda que já ganhou tudo que podia ganhar e ainda assim continua nos brindando com mais um petardo! As músicas poderiam ser mais curtas? Sim, poderiam, mas não é a gente mesmo que pede disco dos caras todo ano? Então, ta aí e vê se não reclama! Candidato forte ao top 10 de melhores do ano!   NOTA 9,5





GLENN HUGHES - Resonate
Acompanho "The voice of Rock" desde 1998, data em que o descobri pelo seu subestimado e modesto disco The Way it Is, e de lá pra cá foi só alegria. As suas inúmeras vertentes e vasta gama de composições flertando entre o rock, funk, heavy entre outros sempre me pega de jeito. Desta vez, não foi diferente, Resonate é um dos discos mais pesados do ex Deep Purple, se não o mais pesado, nos brindando com uma sequência de canções matadoras e cadenciadas de mais puro bom gosto musical. A banda é sempre estupenda, valendo a pena destacar a participação de seu antigo batera de discos anteriores Chad Smith, do RHCP na faixa Heavy. A mensagem do álbum é clara: mostrar que ele soa como um adolescente no auge da carreira, mesmo estando com seus 65 anos de idade. Vale ainda ressaltar que ele e Steven Tyler são os únicos cantores de sua geração que ainda conseguem cantar no tom original das músicas e ainda fazer bonito. Resonate é coeso e uma excelente pedida pra quem enxerga além do óbvio das bandas de sempre fazendo mais do mesmo, Glenn Hughes é um talento natural e insubstituível que nos presenteia com mais um ótimo disco para sua vasta discografia recheada de coisa boa. Vale muito a pena conferir na íntegra.   NOTA 8,0






GUGUN POWER TRIO - Solid Ground - 2011
Garimpando nas águas ou terras do heavy funk, eis que acho essa maravilha de power trio fazendo uma mistura maravilhosa passeando pelo que há de melhor nos estilos citados. Tratam-se de uns doidos da Indonésia misturando influências de Hendrix, Led, Betty Davis entre outros, com uma roupagem moderna e ótimo entrosamento. Destaques para s faixas Soul of Fire e Vixen Eyes que são o carro chefe desse excelente trio, levando na bagagem esse ótimo disco. Você não pode deixar de ouvir ao menos estas faixas recomendadas.
NOTA 9,0